Você não está conseguindo pagar as parcelas do seu empréstimo? Confira dicas de como reduzir os custos e minimizar o impacto da despesa no seu orçamento

O empréstimo é considerado uma modalidade de crédito amplamente utilizada no Brasil. Para quem vai fazer um empréstimo pela primeira vez, a principal dica é: pesquise. Antes de contratar, compare, avalie e analise as opções disponíveis. Quanto mais acertada for a escolha, menores são as chances de precisar realizar uma portabilidade bancária no futuro.

O consumidor deve ter em mente que a modalidade é considerada uma dívida de longo prazo, portanto, mesmo que a renda familiar ou pessoal diminua ao longo do tempo, aquela obrigação continuará existindo. Agora, se houver a necessidade de buscar a redução das parcelas de empréstimo, há algumas dicas que podem ajudá-lo.

1. Conheça o valor total do seu empréstimo

O valor das parcelas está alto e você não está mais conseguindo cumprir com as suas obrigações? Neste caso, a primeira dica a ser colocada em prática é: conheça o valor total da sua dívida.

Essa informação é essencial para fazer o cálculo do saldo devedor e para apresentar uma proposta de quitação para a instituição financeira. Para saber o saldo, basta entrar em contato com a instituição responsável para solicitar o valor da dívida atualizada — neste valor o banco vai incluir todos os encargos e taxas de juros.

Em alguns casos é possível acessar essas informações no aplicativo ou plataforma online da instituição. Verifique qual é a forma mais fácil de acessar os dados e consulte o valor total atualizado da sua dívida. 

4 dicas para reduzir as parcelas de empréstimo

2. Tente fazer uma renegociação

Com o valor da dívida em mãos, o passo seguinte é entrar em contato com o banco com o propósito de fazer uma renegociação dos valores. Solicite informações a respeito do desconto que pode ser dado sobre o valor total.

Caso você opte por um novo parcelamento, é essencial verificar a questão dos juros, já que mesmo que o valor das parcelas fique menor, pode haver chances do valor total ser superior, saindo mais caro a longo prazo. 

Na renegociação, também vale a pena verificar a possibilidade de conseguir um desconto maior para pagamento à vista. Se tiver condições de quitar o valor total, é interessante verificar essa possibilidade.

3. Pague antes do vencimento

Se você receber algum dinheiro extra, pode ser interessante pagar a sua dívida antes do prazo de vencimento. Com o pagamento antecipado, o banco não pode cobrar os juros das parcelas que venceriam no futuro e isso pode representar um bom desconto no valor total. 

O pagamento antecipado do empréstimo é possível, e sempre que o consumidor fizer esse pagamento antecipado o banco não pode cobrar valores de juros ou taxas adicionais. 

4 dicas para reduzir as parcelas de empréstimo

4. Faça uma portabilidade

Caso você não consiga renegociar a dívida junto à instituição bancária em que assumiu o empréstimo, existe a possibilidade de fazer uma portabilidade bancária, também conhecida como portabilidade de crédito.

A portabilidade de crédito é um mecanismo que foi criado em 2013 pelo Banco Central do Brasil com o propósito de aumentar a competitividade entre instituições e assim melhorar as propostas oferecidas aos consumidores.

A portabilidade pode ser solicitada a qualquer momento, o procedimento é gratuito e o contrato é cancelado havendo quitação antecipada da dívida junto ao banco original. 

Antes de solicitar a portabilidade é preciso ficar atento às condições que são oferecidas pelo banco que vai assumir a dívida e operar a portabilidade. A seguir, explicamos melhor como funciona a portabilidade de crédito. Confira:

  • uma portabilidade ocorre quando um banco aceita comprar a dívida de um cliente com outro banco. Assim, ele paga a dívida ao banco originário e o cliente fica com uma nova obrigação com a instituição que adquiriu a dívida;
  • a única taxa que pode ser cobrada em uma portabilidade de crédito é o cadastro — em crédito imobiliário, pode haver cobrança da avaliação do imóvel. Nenhuma outra taxa ou condição pode ser exigida para realizar a portabilidade;
  • a portabilidade não pode ser condicionada à compra de outros produtos do banco.
  • o prazo para conclusão da transação é de até cinco dias úteis;
  • a portabilidade de crédito só pode ser feita no mesmo sistema de amortização do financiamento anterior;
  • as parcelas do financiamento devem estar em dia.

É fundamental ao consumidor saber que o banco não pode se recusar a fazer uma portabilidade; é a mesma lógica que se aplica às operadoras de celular. Ele tem liberdade para fazer uma contraproposta ao cliente na tentativa de manter o seu contrato de crédito, porém o consumidor é que decide. 

Leave a comment

Your email address will not be published.